Ópera de Roger Waters chega a São Paulo no Teatro Municipal em maio

Padrão
Divulgação

Divulgação

Marcelo de Assis, da redação

Fãs do Pink Floyd estejam atentos! A Ópera Ça Ira – Há Esperança do lendário músico e co-fundador do Pink Floyd, Roger Waters chega á São Paulo com grande orquestra, solitas e coro e é baseada no libretto original francês de Etienne Roda-Gil, com ilustrações de sua mulher Nadine, e tem como foco principal a busca incessante pelos direitos humanos.

O espetáculo estará em cartaz no Teatro Municipal de São Paulo nos dias 2,4,7 e 9 de maio. Roger Waters deve acompanhar a produção na capital paulista.

Ambientada no início da época otimista da Revolução Francesa, na qual o povo francês lutou por um mundo melhor, fundamentado nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, em substituição aos princípios de uma nobreza decadente, é uma história de esperança, com grande poder e beleza, que evoca a paixão, loucura e triunfo da fé, em um período que mudou para sempre a natureza do mundo.

Ça Ira usa a Revolução Francesa como pano de fundo para discutir os grandes conflitos da história humana; tirania, poder e liberdade.

Este espetáculo, trazido ao Brasil pela produtora Lika Geribello, foi apresentado em Manaus, em abril de 2008, dentro do Festival Amazonas de Ópera, com produção local e enorme sucesso, provando que há grande interesse no gênero.

Ça Ira teve sua estréia em Roma, com um concerto sinfônico, e posteriormente foi encenada em Poznan, na Polônia e Kiev na Ucrânia, mas a montagem brasileira foi a mais fiel ao original, tendo também uma nova ária, composta e introduzida por Roger. “Aprendo bastante com cada apresentação, e venho editando e reescrevendo a ópera seguidamente, sempre buscando melhorá-la, deixando-a mais forte.

A direção musical e regência ficará a cargo do renomado maestro Rick Wentworth, que já esteve à frente das orquestras de grandes trilhas sonoras de filmes de longa metragem de Tim Burton como Alice no País das Maravilhas, A Fantástica Fábrica de Chocolate, Exterminador 4 e Noiva Cadáver.

Sua parceria com Roger Waters começou em 1989 e tornou-se coprodutor, orquestrador e regente da ópera Ça Ira. Rick foi o maestro regente da première mundial da ópera em Roma e das apresentações na Polônia.

Escreveu e produziu canções com George Benson, Patti Austin e Grace Jones.

Rick já trabalhou com Paul McCartney, onde fez os arranjos e orquestração de seu Concerto para o Prêmio Nobel da Paz.

Vale muito a pena conferir!

A direção do espetáculo é de Andre Heller-Lopes. A produção fica a cargo de Lika Geribello e Cristiane Rossetto.

Ficha Técnica:

Maria Marianne – The voice of Liberty, Freedom, Reason – Lina Mendes
Marie Antoinette – Gabriella Pace
Marie Therese – Keila Moraes
A Revolutionary Priest –Marcos Paulo
A Military Officer – Giovanni Tristacci
A Revolutionary Slave – David Marcondes
The Ringmaster – Leonardo Neiva
The Troublemaker  – Eduardo Amir
Louis Capet – The King – Leonardo Pace

Coral Infantil
Coral Lírico do Teatro Municipal de São Paulo

Orquestra Sinfônica Municipal

Direção Musical e Regênica: Rick Wentworth
Direção: Andre Heller-Lopes
Cenografia: Renato Theobaldo
Figurino: Rosa Magalhães
Iluminação: Fabio Retti
Produção: Lika Geribello e Cristiane Rossetto

 

Anúncios

Roger Hodgson desvenda o clássico "The Logical Song"

Padrão
Divulgação

Divulgação

Marcelo de Assis, da redação

O ex-vocalista do Supertramp, Roger Hodgson divulgou hoje em sua página oficial no Facebook, a inspiração que buscou para escrever a letra do clássico The Logical Song, um dos maiores sucessos da banda e que entrou para o álbum multi-platinado Breakfast In America em 1979.

Hodgson, de 62 anos disse que a canção se encaixa muito bem nos dias de hoje e que as muitas questões sem resposta na adolescência, desenvolvem “adultos desiludidos” no futuro: “The Logical Song nasceu das minhas perguntas sobre as coisas que realmente importam na vida. Durante toda a infância, somos ensinados sobre todos os modos de ser e ainda assim raramente se fala sobre o nosso verdadeiro “eu”. Somos ensinados como agir exteriormente, mas não orientados como agir por dentro. Vamos da inocência e da maravilha da infância para a confusão da adolescência, que muitas vezes termina no cinismo e na desilusão da vida adulta”, disse o multi-instrumentista.

E concluiu: “É uma questão que continua soando como um acorde no fundo das pessoas em todo o mundo, especialmente nestes tempos críticos e de transformação”, finalizou.

Roger Hodgson iniciou uma turnê pelos EUA para celebrar o álbum Breakfast In America. Ele realizou uma turnê no Brasil no ano passado com shows em São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Brasilia e Porto Alegre.

Veja abaixo a apresentação de Roger Hodgson no Canadá com a canção The Logical Song:

[youtube_sc url=”http://www.youtube.com/watch?v=OQfjIw3mivc”%5D