LOLLAPALOOZA 2014: OS NÚMEROS FINAIS

Padrão

Foram mais de 54 horas ininterruptas de muita música e atividades. E um público total de 150 mil pessoas curtiu o novo Lollapalooza, que aconteceu nos dias 5 e 6 de abril, no Autódromo de Interlagos. A terceira edição do lendário festival atraiu uma legião de fãs de todas as regiões do Brasil, vários países da América e até da Europa. 

Reconhecido como um dos festivais mais emblemáticos do mundo, o Lollapalooza Brasil encantou em todos os sentidos. Reunindo artistas de diversas gerações, nomes como Muse, Arcade Fire, Soundgarden, Nine Inch Nails, Imagine Dragons, Pixies, Phoenix, Vampire Weekend, New Order, Axwell (Swedish House Mafia), Julian Casablancas (The Strokes), Ellie Goulding, Jake Bugg, Lorde e Disclosure, entre outros, estremeceram a zona sul da capital paulista.

Transporte – Uma das questões fundamentais para a organização do evento foi transporte. Um plano especial de locomoção foi implantado justamente para otimizar a chegada e saída do público. O sistema priorizou o desembarque na estação “Autódromo”, da linha 9 – Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), localizada a 600 metros de uma das entradas do Autódromo de Interlagos.

Apenas no primeiro dia do evento, 48.156 pessoas chegaram de trem e mais de 54.493 retornaram para casa com o mesmo meio. No dia seguinte, 29.273 utilizaram dos serviços da CPTM na ida e 33.301 na volta.

Conheça o balanço final:

– Público final de 150 mil pessoas em dois dias
– Mais de 50 atrações musicais
– Mais de 600 pessoas entre músicos e produção
– Mais de 54 horas de música ininterruptas
– 400 toneladas de equipamentos de som, luz e cenografia
– outras 500 toneladas de estrutura metálica para palcos, house mix, barricada, etc
– 5 mil pessoas trabalhando na produção, sendo prestadores de serviço nos bares, ambulantes, brigadistas, assistência médica, segurança, orientadores
– mais de 1.500 pessoas na montagem e desmontagem
– Tempo de montagem e desmontagem: 30 dias
– Cabos: 20 mil quilômetros de cabos foram usados em toda a área da Lollapalooza Brasil 2014
– Containers: 70 containers utilizados nas bilheterias, caixas, produção e credenciamento
– Banheiros: 1 mil

Merchandising
– Mix de Produtos: 55
– Mais de 6 mil camisetas vendidas
– Mais de 1.000 bonés vendidos
– Mais de 1.000 capas para Iphone
– 780 copos de cerveja Lolla
– 820 cordões Lolla
Ao todo foram mais de 11 mil itens vendidos consolidando a marca Lollapalooza Brasil

Restaurantes/bares:
Chef Stage:
– 16 restaurantes, mais de 30 pratos no menu
– refeições vendidas na área dos chefs: 33.500 refeições

Praças de alimentação/food trucks:
– 2 bares de 40m
– 1 bar de 10m
– 4 bares de 30m
– 400 ambulantes cadastrados
– Refrigerantes diversos: 66.000 unidades de latas
– Água copo 200ml: 144.000 copos (28.800 litros de água/200ml cada copo)
– Chopp: 123.000 litros (307.500 copos de chopp/400ml cada copo)
– 10 mil litros de Chopp Skol Stage edição especial e exclusiva do Lollapalooza
– 6.000 energéticos Fusion foram distribuídos no Sky Bar
– Sorvete Diletto sabores diversos: 11.000 unidades
– Kebab: 3.200 unidades
– Esfiha: 4.800 unidades
– Batata frita: 15.000 unidades (3 toneladas de batatas)
– Hot-dog: 18.000 unidades
– Pizza: 13.000 unidades
– X-picanha: 10.500 unidades
– Açaí: 4.500 unidades
– Crepe francês: 4.500 unidades
– Espetinhos: 13.000 unidades
– Pipoca: 6.200 unidades
– Pastel: 10.000 unidades

Catering dos artistas e produção
– Em 20 dias, foram oferecidas mais de 3.200 refeições ao staff do evento
– Em 3 dias, foram oferecidas 1.100 refeições aos artistas

Entretenimento
– Roda Gigante Skol: 200 pessoas por hora
– pista de patinação: em média, 200 pessoas por hora
– copos customizados com o line up do festival: 90 mil distribuídos
– 5.000 copos de Fusion distribuídos
– Sky Bar Fusion: 1.410 mil pessoas prestigiaram o bar aéreo, que foi içado 141 vezes por um guindaste
– bastões de LED coloridos: 46.000 unidades para os dois dias
– discos vendidos no stand Skol: entre R$ 15 e 20 mil reais
– quantos #s Selfie Onix: quase 5 mil fotos
– fotos na fotocabine Onix: 1.000 fotos por dia
– cartões personalizados Correios/Lolla: 10 mil itens foram postados

Lolla Lounge 2014
– 5 mil m2 de espaço
– 400 metros lineares de fechamento
– 850 m² de lona impressa
– 3 mil metros lineares de sarrafo
– 1500 KVA de gerador
– aproximadamente 5 mil pessoas nos dois dias
– Buffet Bar Riviera com cardápio assinado por Alex Atala
– 5 mil refeições servidas
– 45 toneladas entre cenografia e técnica
– led 6m x 4m
– distribuição de seis mil litros de chopp
– shuttle VIP: 40 vans, 10 micro ônibus, 6 ônibus
– 3 mil metros lineares de cabo de elétrica
– 500 metros de cabo de gerador
– tenda de cobertura com 60m x 30m
– 40 caminhões

Atendimentos Médicos
– 1.200 atendimentos médicos gratuitos
– 99% dos casos foram resolvidos in loco
– Apenas 12 remoções
– Causas mais recorrentes: cefaléia (dor de cabeça), náusea/vômito, verificação de pressão arterial, dor muscular, curativos e desidratação.

Segurança
– A Delegacia Especializada em Atendimento ao Turista (Deatur) manteve um posto dentro do Lollapalooza
– A Deatur contou com 40 policiais envolvidos no esquema de segurança
– A segurança interna também foi feita 1.200 seguranças particulares desarmados
– O evento contou com o apoio da Polícia Militar e Guarda Civil Metropolitana.
– a Deatur registrou apenas dez queixas de furtos de celulares, além de um roubo de telefone nos dois dias do evento. Um suspeito foi preso. No ano passado, o evento teve 80 casos
– uma equipe de 170 brigadistas atendeu ao público

Internet
– Impacto estimado nas mídias sociais: mais de 20 milhões de pessoas durante o evento (o Lollapalooza é um dos festivais com mais seguidores do Mundo)
– Visitas ao Site Oficial: mais de 1 milhão de páginas visitadas durante o evento e aproximadamente 5 milhões de visualizações de páginas.
– Além do Brasil, Estados Unidos, Chile, Argentina e México foram os países que mais acompanharam o evento.
– a página oficial do Lollapalooza no Facebook alcançou cerca de 15 milhões de pessoas em uma cobertura em tempo real de todos os shows e ativações do evento
– crescimento de mais de 40 mil fãs durante a semana do festival
– público predominante: feminino (53%) de 18-34 anos.
– O evento repercutiu também das cidades do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba e Porto Alegre.
– Aplicativo Mobile: mais de 230 mil aberturas durante os shows com informações do festival

Inovações digitais:
– Crowd Reactive: 3.926 fotos e vídeos compartilhados com a hashtag #eunolollabr
– imagens foram exibidas nos telões laterais dos palcos Skol e Interlagos
– ação resultou no alcance de quase três milhões de pessoas

– Fotozoom: foto em ultra definição permite que as pessoas se encontrem e compartilhem com os amigos nas redes sociais através do link https://www.facebook.com/LollapaloozaBR/app_557739774340949

Sustentabilidade/Lixo:
Após os dois dias de Lollapalooza, foram recolhidos mais de 12 toneladas de lixo reciclável. Todo este material foi destinado a um aterro sanitário licenciado e, para o Lollapalooza, foram contratados 48 agentes ambientais de quatro cooperativas da Zona Sul (Coopergaia, Coopercral, Cooperpac e Cooper Granja Julieta).

Pet: 856,1 Kg
Alumínio: 1100,7 Kg
Papelão: 4158,2 Kg
Papel Misto: 1345,3 Kg
Ferro: 366,9 Kg
Plástico (aparas): 1223 Kg
Copos plásticos (PP): 2201,4 Kg
Vidro: 978,4 Kg
Total de resíduos: 12 toneladas de lixo reciclável

The Killers faz apresentação arrebatadora no Lollapalooza 2013

Padrão
Divulgação

Divulgação

Colaboração de André Kostta –  O  Lollapalooza 2013 teve  o grupo The Killers como atração principal, na sexta-feira (29) e reuniu uma média de 52 mil pessoas no Jockey Club, em São Paulo.

Além dos Killers, o festival teve um sensacional show do Cake e a catástrofe do The Flaming Lips que foi a decepção da noite, para a maior parte dos fãs e para mim. O espaço para as crianças, o Kidzapalooza, foi um dos destaques do evento, com direito a concorridas oficinas de bateria ministradas por Igor Cavalera.

Quanto ao Killers, a banda americana entrou com apenas oito minutos de atraso já que a apresentação estava marcada para 21h30. Com Mr. Brightside, Brandon Flowers e sua troupe iniciaram o espetáculo de forma arrebatadora, deixando todos hipnotizados com a mistura de rock contemporâneo e  sintetizadores vintage que contrastavam com seus refrões mortais.

A maior parte dos hits foi retirada do quarto álbum da banda passando também pelos principais sucessos como Somebody told me, Read my mind, Human e Runaways. O que mais me impressionou foi a forma fácil em que o vocal de Flower interpretava lírica e quase dramaticamente as canções que se misturavam com a energia do rock quase britânico da banda  norte americana.

O grupo não escondeu a felicidade com a boa receptividade do público brasileiro presente ao Lolapalooza. Em alguns momentos o instrumental  da banda era menos audível que seus fãs  ensurdecedores

Bons de palco

Logo nos primeiros acordes é perceptível notar que a banda ao vivo consegue ser infinitamente superior aos seus álbuns de estúdio, o que empresta total credibilidade aos músicos já que poucas vezes conseguimos ver tal desempenho nos palcos e com o showbusiness cada vez mais enlatado, o desempenho do Killers chega a ser um fato  raro.

Com o público em catarse, o auge do show aconteceu  na décima terceira canção. All These Things That I’ve Done talvez seja o maior hit-single do quarteto. A música sintetiza o que o Killers tem de mais notável: refrões marcantes, música de alta qualidade e performance de palco extraordinária!

As  22h44 o Killers saiu do palco. Passados alguns minutos, os músicos regressaram e Flowers questionou: Sentiram nossa falta?. Diante da manifestação afirmativa, ele respondeu: Nós também sentimos.

Mais uma trinca de canções rolou no concorrido no bis: This Is your life, Jenny was a friend of mine e, por fim, a minha preferida, When you were young.

Flowers sobretudo, é um destemido adestrador que solta o animal em palco. Com o virtuosismo e complexidade dos arranjos, ele atinge a  meta com total personalidade.

The Killers é um grito demasiadamente alto e surdo para um motor bi combustível e de tanta potência.

Longa Vida ao rock e ao Killers!

Agridoce encerra turnê em março no Lollapalooza

Padrão
Caroline Bittencourt

Caroline Bittencourt

Iniciado de forma despretensiosa, o projeto da cantora Pitty e do guitarrista Martin, o Agridoce, tomou dimensões inicialmente inesperadas: eles lançaram seu primeiro CD e um DVD com registro das gravações, tiveram singles em alta rotação nas rádios e clipes nas paradas das TVs musicais.

Participaram das maiores premiações brasileiras de música, vencendo o Prêmio Multishow e o Prêmio Contigo!.

Apresentaram-se em grande parte do país e também no festival SXSW, no Texas (EUA), e encerram a turnê no dia 29 de março no Lollapalooza em São Paulo.

O Agridoce, que traz Pitty no piano e Martin no violão, conquistou o público com canções de melodias mais delicadas e acento folk. Entre os sucessos estão faixas como Romeu, Dançando, Upside Down, 130 anos, B-Day entre outras.

Até o encerramento da turnê no Lollapalooza, os fãs que ainda não viram o show do Agridoce e aqueles que quiserem rever terão as últimas oportunidades de prestigiarem o trabalho de Pitty e Martin. Segue a agenda:

10/01 – Sesc – Santos / SP
07/03 – SESI – Macaé / RJ
08/03 – SESI – Campos / RJ
09/03 – SESI – Itaperuna / RJ
13/03 – SESI – Rio de Janeiro (Centro) / RJ
15/03 – SESI – Petrópolis / RJ
16/03 – SESI – Nova Friburgo / RJ
22/03 – SESI – Caxias / RJ
23/03 – SESI – Jacarepaguá / RJ
29/03 – Lollapalooza – São Paulo / SP

Com informações da Batucada Comunicação

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=vOL-AvxD9w4″%5D