Sting revisita sua trajetória em "The Last Ship"

Padrão

Dez anos se passaram e um desejo profundo de rever a história de uma vida inteira se transformou na mais recente inspiração do célebre músico britânico Sting!

Estou falando de seu décimo-primeiro álbum de estúdio, entitulado The Last Ship, recentemente lançado pela Universal Music Brasil, depois de experimentar releituras de seus grandes sucessos durante os quatro anos em que esteve na na maior gravadora de música clássica do mundo, a Deutsche Grammophon.

O azul é predominante no encarte do álbum que apresenta a figura gigante de um navio, pronto para desbravar o mar e dar sentido figurativo ao que chamamos de liberdade, a suntuosa analogia que representou a carreira de um dos maiores músicos britânicos da história.

“Na infãncia e na adolescência, de certa forma, eu quase ensaiei para esse tipo de vida. Eu não sentia que nenhum lugar fosse realmente o meu lugar. Sempre tive a sensação de que tinha que viajar, que havia lugares para ir. Eu nasci numa rua onde havia um navio-tanque enorme, era um estaleiro. Construíam os maiores navios do mundo lá. Passavam nove meses do ano construindo o corpo gigantesco do navio sobre as casas. Depois colocavam o navio no rio e ele iria navegar pelo mundo afora, para nunca mais voltar ao porto. Esse é o tipo de símbolo da minha vida.”, disse Sting durante uma entrevista em 1985.

Album STING

Algumas canções de The Last Ship são verdadeiras narrativas como acontece em The Night The Pugilist Learned How To Dance e Ballad of The Great Eastern que utilizou de seus recursos vocais para representar de forma fidedígna as impressões que teve ao reencontrar os locais por onde viveu, naquela época sob os efeitos sentimentais de uma europa pós-guerra.

A concepção do disco não foi um processo tão agradável. O resultado pressupõe sensíveis introspecções do autor:

“Gravar um disco sempre envolve uma certa quantidade de procura da alma e me conduziiu a lugares que eu teria preferido não revisitar: a infância confusa, a paisagem industrial surreal da cidade, o estaleiro. Eu nasci e cresci ali, sobreviventes, culpa, ressentimentos, a ira dormente e uma nostalgia paradoxal do passado, embora dolorosa, mas ainda assim atraente”

Não espere um Sting mergulhado em novas aventuras do universo rock. Não é o caso! Os violões bem elaborados e amenos e os arranjos de violinos como em August Winds soam como a melhor ambientação e atendem o apelo de dramaticidade sugerida. Tudo isso graças ao meticuloso e excelente trabalho do produtor Rob Mathies.

As canções I Love Her But She Loves Someone Else, So To Speak (com participação da cantora Becky Unthank), Sky Hooks and Tartan Paint (com participação de Brian Johnson do AC/DC) e a canção-título, são os pontos altos de um álbum que aponta para um novo ciclo da carreira Sting, norteada de idas e vindas de seu interior, com a luz incessante de novos rumos musicais.

Setlist:

The Last Ship
Dead Man´s Boots
And Yet
August Winds
Language Of Birds
Practical Arrangement
The Night The Pugilist Learned How To Dance
Ballad Of The Great Eastern
What Have We Got? (com Jimmy Nail)
I Love Her but She Loves Someone Else
So To Speak (com Becky Unthank)
The Last Ship (Reprise)
Shipyard
It´s Not The Same Moon
Hadaway
Sky Hooks And Tartan Paint (com Brian Johnson)
Show Some Respect

[youtube_sc url=”http://www.youtube.com/watch?v=87lKbcMBEdE”%5D

Neil Young será homenageado nos EUA

Padrão
Divulgação

Divulgação

Marcelo de Assis

Cantor, compositor, multi-instrumentista e um dos grandes nomes do rock em todos os tempos.

O que não faltam é atributos ao canadense Neil Young!

No dia 21 de janeiro ele será homenageado pela Academia de Produtores e Engenheiros pela sua contribuição na melhoria do áudio digital e de sua qualidade.

Grandes nomes como os fundadores da Atlantic Records Ahmet e Nesuhi Ertegun, o lendário produtor Quincy Jones e o fundador da Island Records, Chris Blackwell já foram agraciados com esta homenagem!

“É com grande honra que neste ano homenageamos um ícone musical que tem sido incansável em seus próprios esforços para chamar a atenção da importância de se ouvir música e que estabeleceu continuamente os precedentes de excelência dentro da comunidade musical. As contribuições de Neil Young são inúmeras, como é para seu trabalho e estamos ansiosos para um noite inesquecível com este lendário artista!”, disse Neil Portnov, presidente da referida academia.

Em atividade desde 1960, Neil Young venceu o Grammy em 2010 e 2011, foi incluído no Hall da Fama da Música Canadense em 1982 e foi indicado ao Hall da Fama do Rock and Roll duas vezes: em 1995 como artista solo e em 1997 como membro do Buffalo Springfield.

Sua colaboração musical ao longo dos anos com artistas de diferentes estilos como Bruce Springsteen, R.E.M., Metallica, Pearl Jam, Paul McCartney, David Bowie
e Elton John.

Lauryn Hill é condenada a três meses de prisão por não pagar impostos

Padrão
Eduardo Munoz / Reuters

Eduardo Munoz / Reuters

Marcelo de Assis

A cantora norte-americana Lauryn Hill foi condenada a três meses de prisão por não pagar cerca de US$ 1 milhão em impostos por uma década. As informações são do semanário inglês The New Musical Express.

Além disso, Hill ainda terá que pagar US$ 60 mil de multa pela infração. Após os três meses de prisão, ela ainda ficará em liberdade condicional, supervisionada pelas autoridades locais pelo período de um ano.

Durante o julgamento, a artista de 37 anos alegou que não pagou os impostos por se sentir uma “escrava”: “Eu sou filha de ex-escravos que tinham um sistema que lhes foi imposto. Eu tinha um sistema econòmico imposto em mim”, argumentou.

Lauryn Hill será encaminhada à uma prisão não-revelada no dia 8 de julho.

Led Zeppelin conquista certificações de Platina para CD e DVD ao vivo

Padrão
Divulgação

Divulgação

Marcelo de Assis, da redação

O memorável revival do Led Zeppelin ocorrido no dia 10 de dezembro de 2007 no O2 Arena e que foi registrado no CD e DVD Celebration Day confirmou a expectativa de grandes vendas no Brasil: o referido álbum conquistou uma Certificação de Platina, para cada uma das gravações, o que corresponde às vendas de 40 mil unidades para o CD e de 50 mil unidades para o DVD.

Com um repertório recheado de seus grandes sucessos, o Led Zeppelin subiu ao palco do O2 Arena em Londres para comemorar a carreira de um dos maiores executivos do mercado fonográfico de todos os tempos, o turco Ahmet Ertegun (1923-2006), fundador da Atlantic Records que durante toda a sua trajetória profissional foi um visionário e descobriu grandes talentos como Ray Charles, Aretha Franklin, Eric Clapton, Phil Collins, Frank Zappa e acreditou no exímio talento dos rapazes do Led Zeppelin.

Mesmo com a utilização de 16 câmeras de última geração e com um público em pleno delírio, houve o receio de que o registro de Celebration Day jamais fosse comercializado.

Mas no dia 9 de setembro de 2012, a banda deu pistas de que realizaria a vontade de seus fãs e dois dias depois, veio o anúncio que todos esperavam: o show seria lançado em CD e DVD além de uma exibição nos cinemas em outubro daquele ano.

OPB Led

Led Zeppelin
Celebration Day

Certificação de Platina em
3 de abril de 2013 pela ABPD (Brasil)

Lançamento: 19 de novembro de 2012
Selo: Atlantic Records
Gravadora: Warner Music International

Goo Goo Dolls anunciam show com transmissão em rádio web nos EUA

Padrão
Divulgação / Warner Bros Records

Divulgação / Warner Bros Records

Marcelo de Assis, da redação

A banda norte-americana Goo Goo Dolls se apresentará na lendária casa de shows Troubadour em Los Angeles no dia 13 de abril para o evento The Warner Sound.

O show terá a característica de uma apresentação intimista e será transmitido via web pela rádio local 104,3 MY FM.

O Goo Goo Dolls lançará em maio seu 10º álbum de estúdio chamado Magnetic e o primeiro single a ser trabalhado foi Rebel Beat.

Strokes lançam novo álbum "Machine Comedown". Ouça antes do lançamento!

Padrão
Divulgação

Divulgação

Marcelo de Assis, da redação

Os Strokes anunciaram o lançamento de Machine Comedown, o seu quinto álbum de estúdio para o próximo dia 25 de março. O novo álbum será lançado pela Sony Music sob o lendário selo RCA, com o seu antigo logo em grande destaque na capa do disco. Ouça as faixas clicando aqui.

Gravado entre julho e novembro do ano passado no lendário estúdio nova-iorquino Electric Lady Studios, Comedown Machine chega ao mercado com 11 faixas e um vídeo, All The Time lançado há pouco dias na internet.

Em entrevista ao The New Musical Express, o baixista Nikolai Fraiture disse que a banda ainda não tem planos de realizar uma nova turnê, mas deixou escapar o seu anseio: “Eu não sei.Eu adoraria fazer uma turnê”, disse.

Confira as faixas do novo disco:

Tap Out
All The Time
One Way Trigger
Welcome To Japan
80’s Comedown Machine
50 50
Slow Animals
Partners In Crime
Chances
Happy Ending
Call It Fate Call It Karma

Lendário produtor Quincy Jones completa 80 anos

Padrão
Divulgação

Divulgação

Marcelo de Assis, da redação

Uma lenda viva! Analisar e reviver a trajetória do genial produtor Quincy Jones que completa 80 anos hoje seria falar, sem nenhum exagero, da história da música pop. Ele foi um dos maiores empreendedores deste mercado. Em cinquenta anos dedicados à música, Quincy Jones fez amigos, descobriu talentos, despertou gênios e conquistou inúmeros prêmios pelo mundo.

Aquele garoto de Chicago que nasceu em 1933 talvez não desconfiasse o futuro brilhante que o destino estaria lhe reservando. E muito trabalho tambem. Conheceu o amigo e genial  Ray Charles em 1943 e ali começaria uma parceria de muito talento e amor pelo trabalho.

Quando Jones conquistou uma bolsa de estudos na Schillinger House em 1951, o anseio pela música falou mais alto e ele não pensou duas vezes: largou os estudos e foi excursionar como trompetista ao lado do conceituado músico Lionel Hampton. Era o começo de tudo. Chegou a dirigir a banda de Dizzy Gillespie em uma turnê pelo Oriente Médio e América do Sul. Foi manager de gravadora, iniciando suas atividades na Barclay e, em seguida, na Mercury Records, onde alcançou a vice-presidência da empresa. Ele foi o primeiro afro-americano a ocupar uma vaga como esta em uma empresa do mercado fonográfico.

Divulgação

Divulgação

Mas a sua vida profissional entrou em uma fase de ascensão inesquecível: conheceu Michael Jackson durante as filmagens de The Wiz, que, por sua vez, pediu uma orientação a Jones para indicar um produtor. Nem Jackson, nem Jones desconfiavam do sucesso que fariam. E aconteceu: lançaram juntos Off The Wall em 1979 e foi um sucesso arrebatador, elevando o nome de MIchael Jackson no cenário pop e vendendo mais de 20 milhões de cópias.

Três anos depois, outra surpresa: o album Thriller foi o disco mais vendido no mundo na época e hoje suas vendas já somam 140 milhões de cópias, consagrando como o álbum mais vendido de todos os tempos. E podem acreditar: ninguem vái superar esta marca!

Outro momento que marcou esta parceria foi a união dos maiores nomes da música norte-americana que, sob a direção de Quincy Jones, criaram o USA For Africa. O single We Are The World foi um sucesso sem precedentes. Jones seguiu os modelos de Concert For Bangladesh de 1971 (idealizado por George Harrison e Ravi Shankar) e do Live Aid de 1985 (idealizado por Bob Geldof) e convidou Michael Jackson e Lionel Richie para desenvolverem a canção.

Os maiores artista norte-americanos gravando o vídeo "We Are The Word" nos estudios da A&M Records em 1985 / Foto: Divulgação

Os maiores artistas norte-americanos gravando o vídeo “We Are The Word” nos estudios da A&M Records em 1985 / Foto: Divulgação

Antes da filmagem do vídeo, Quincy Jones, que sempre possuiu uma habilidade notória no trato com os artistas, colocou uma faixa no lado externo dos estudios da A&M Records com a frase: “Deixem o ego do lado de fora”.

Durante toda a sua carreira, Quincy Jones conquistou 27 Grammys, lançou mais de 30 discos, sempre com a soul music e o R&B norteando suas composições, trabalhou em trilhas sonoras e foi incluido no Hall da Fama do Rock´n´Roll deste ano.

Ele tambem é um grande admirador da música popular Brasileira, tendo um apreço especial pela cantora Simone a qual certa vez se referiu como “uma das maiores cantoras do mundo”, além de gostar muito de Ivan Lins e Milton Nascimento.

Vida longa á um dos maiores produtores do século XX.