U2 retorna a antiga gravadora para lançar novo álbum

Padrão

O U2 tem um longo relacionamento com a Island Records.

Aliás, eles foram descobertos por um produtor musical e visionário chamado Chris Blackwell, dono da gravadora, que acreditou no potencial de Bono & Cia.

Foi Blackwell responsável pelas carreiras de Bob Marley, Emerson, Lake & Palmer, Roxy Music, Cat Stevens (Yusuf Islam), Steve Winwood entre muitos outros.

Ele vendeu a gravadora para a PolyGram em 1989 por um valor estimado de £272 milhões (um pouco mais de um bilhão de reais, no câmbio atual) que, por sua vez, seria adquirida nove anos depois, pela Universal Music Group.

O que aconteceu na realidade é que a banda irlandesa já estava acostumada com o então diretor da Island, Jason Iley mas a UMG o transferiu para um outro selo da compania, a Mercury Records e eles não gostaram nem um pouco de seu sucessor.

Resultado: eles preferiram continuar com Iley e se mandaram para a Mercury em 2006.

O primeiro disco do U2 na compania britânica foi Boy em 1980.

Sete anos se passaram e a Mercury teve suas atividades encerradas. A Universal Music fechou a compania para a criação de um novo selo, a Virgin EMI. Até este desfecho não se sabia qual seria o destino do U2 em termos de gravadora.

Mas tudo leva a crer que eles devam retornar a Island Records. Uma fonte ligada a banda informou ao semanário britânico The New Musical Express que eles estariam “voltando ao seu lar espiritual”

O próximo álbum do U2 tem previsão de ser lançado em abril.

Anúncios