Direitos autorais: o inferno na vida de McCartney

Padrão

“Toda vez que tenho que tocar Hey Jude, tenho que pagar”

Esta é uma frase de Paul McCartney, reclamando por ter que pagar os direitos autorais para cantar uma canção a qual ele mesmo foi o compositor

Mas como isso aconteceu com ele?

Essa situação começou em 1985, depois que Michael Jackson (1958-2007) adquiriu toda a obra dos Beatles. Sem contar que foi o fim da amizade de ambos, que dois anos antes haviam gravado alguns sucessos juntos.

Como por exemplo, este:

[youtube_sc url=”http://www.youtube.com/watch?v=aLEhh_XpJ-0″%5D

Sei, sei, sei…  mas para chegarmos aqui, vamos elucidar algumas coisas:

Em 1963 os Beatles estavam fazendo um enorme sucesso em todo o mundo: milhares de discos vendidos, shows, apresentações em tv, sem contar as inúmeras vezes em que suas canções tocavam nas rádios. Então, nasceu uma importante questão: como ter controle sobre tudo isso?

Foi então que o empresários Brian Epstein (1934-1967) e Dick James (1920-1986) fundaram a Northern Songs Ltd., uma editora onde Lennon, McCartney, Harrison e Starr poderiam registrar suas canções, algo pioneiro para a década de 60 em termos de direitos autorais e intelectuais.

A editora foi batizada com esse nome, porque os músicos eram da região nordeste da Inglaterra.

Depois de criada a Northern, seus negócios foram para a bolsa de Londres. Com isso foram definidos os lucros da editora entre os Beatles, Epstein, James e Charles Silver que foi nomeado presidente da editora. Cinco anos depois, foi fundada a gravadora Apple, onde os discos dos Beatles seriam editados.

Aí começou uma avalanche nos negócios:

Em 1969, a ATV (Associated Television Corporation) comprou a obra dos Beatles que estavam de posse da Apple. Os anos passaram e em 1984 a ATV, enfrentando sérios problemas financeiros, teve que disponibilizar a venda mais de 4 mil músicas, entre elas, a obra dos Beatles.

Foi nesse momento em que Michael Jackson adquiriu a obra da banda, cobrindo a oferta com um lance maior que o dobro, passando a ter direito de receber 50% de todo o total arrecadado com direitos autorais. Os outros 50% ficaram para a Sony com a nova empresa Sony/ATV Music Publishing.

Jackson desembolsou nesta época US$ 47,5 para administrar entre 160 e 260 canções dos Beatles. Yesterday, Let It Be e Hey Jude estão entre elas.

Só que McCartney terá que esperar mais um pouco, pelo menos 5 anos, pois pela lei norte-americana, todas as composições criadas antes de 1978 só devem retornar ao compositor original após 56 anos, ou seja, neste caso, apenas em 2018.

Este é o inferno na vida do Macca

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s